“Surpresas, curiosidades e confirmações após (mais) uma semana!”

Liberdade daqui a: 839 dias!

Enraizada na cultura ocidental, judaico-cristã, está a imagem da pena eterna infernal que ilustra uma sucessão eternal de dias, sempre iguais, sempre penosos, de renovada e constante dor.

Na mitologia grega temos Sísifo e o seu absurdo renovado trabalho: carregar o calhau até ao cume da montanha para o ver rolar por ela abaixo e retomar a tormenta.

Nos tempos modernos se desejarem tantalizar alguém é prendê-lo, de preferência preventivamente; nesta condição o indivíduo é sujeito a suplício semelhante à personagem mitológica grega – Tântalo – que ilustra a provocada irrealização dos seus desejos mais básicos: suprir a sede e/ou a fome.

Estar recluído é isto tudo. O mesmo dia de ontem que espelha o dia de amanhã. Não se vive o presente, anseia-se pelo futuro, condena-se o passado. Ou talvez não!

Se estivermos atentos, críticos, despertos, as semanas que desejamos que corram céleres podem-se revelar autênticas caixinhas de surpresas, que se insinuam perante nós e nos obrigam a pensar, surpreendendo-nos e, mais uma vez, confirmando que de facto temos razão!

António Mexia, Rui Cartaxo, Pedro Resende e Jorge Machado constituídos arguidos!

Surpresa? Claro que sim!

Mas sabem o que é de facto curioso para mim? É a inexplicável falta de aconselhamento jurídico que o Dr. António Mexia notoriamente apresenta!

Então a primeira coisa que o Dr. Mexia faz é dar uma conferência de imprensa após ser constituído arguido, ele e os outros!

Não saberá o Dr. Mexia e a sua equipa de advogados que existe um concidadão seu, preso preventivamente porque “[…] sendo certo que a audiência de Julgamento e a leitura do acórdão suscitaram a curiosidade dos órgãos de comunicação social, sobretudo atenta a qualidade de Inspector da Polícia Judiciária do arguido/condenado, com algum contributo efectivo do mesmo […]”, perturba a ordem e tranquilidade públicas?

Ninguém avisou o Dr. Mexia e os seus colaboradores que podem ficar em prisão preventiva, pela suspeita da prática de crime de corrupção, se existir curiosidade dos órgãos de comunicação social e se o próprio contribuir para essa mesma curiosidade?

Ele e os seus colaboradores não ficaram presos, são presumíveis inocentes! Claro que são e eu defendo isso mesmo; o que não é mais que a confirmação daquilo que me alimenta nesta luta infernal: eu tenho razão!

Durante a sua inquirição em sede de Julgamento, a Senhora Coordenadora Maria Alice (encarnação viva de uma harpia, para não fugirmos das imagens da mitologia grega) num dos seus paroxismos histéricos, afirmava que possivelmente o meu co-arguido pagava as minhas viagens aos E.U.A., assim como pagava a cota da Associação Americana de Ciências Forenses. Claro que isto foi um desesperado disparate, uma tentativa de levantar suspeitas, formar convicção na Juiz de que eu fora corrompido. Com documentação provou-se o contrário.

Surpresa: António Mexia (a E.D.P.) admitiu ter doado 1,2 milhões de dólares à Universidade Columbia (E.U.A.) a mesma que escolheu Manuel Pinho para dar aulas!!!!

Confirma-se: A defesa do Dr. António Mexia é muito fraca. Então não sabem que em Portugal um concidadão foi condenado pela prática de um crime de corrupção porque foi prometido ao mesmo, no futuro, sem documentação, contrato ou projecto, um laboratório?

Neste caso reconhecem a entrada de dinheiro que subsidia um curso de um antigo governante, decisor em questões relacionadas com a E.D.P.?

As semanas, aqui em “Ébola”, nunca são iguais para quem está atento, mesmo que as notícias cheguem com atraso. Agradeço o envio da notícia que a seguir vamos analisar!

Epitetei a Sra. Coordenadora Maria Alice de harpia? Claro que sim! Depois daquilo que neste espaço denunciei, depois de tudo a que assisti quando trabalhava sob a sua coordenação, eu posso fazê-lo, mas, se acham que estou errado, vejam o que me enviaram esta semana:

“Diário de Notícias”, 2 de Maio de 2017. Título da notícia (digital): “47,7 anos: P.J. tem os polícias mais envelhecidos do país”.

Maria Alice Fernandes odiava jornalistas, não gostava de falar com os “media” (e nós fazíamos de conta que assim o era!). Excerto do artigo referido: “[…] Mais céptica é a ex-dirigente, outra histórica da P.J., Maria Alice Fernandes, que se reformou há três anos, depois de ter liderado a directoria de Setúbal. “Vejo com preocupação essa realidade. Pelo que fui acompanhando de uma forma geral, as mulheres acomodam-se muito na P.J. Usam e abusam de licenças e baixas. Querem ser boas investigadoras, boas mães e boas esposas. Isso é impossível.  A investigação criminal levada a sério requer uma dedicação extrema, exige que se renuncie a muita coisa e muito espírito de sacrifício. Não foi o que vi, de uma forma geral, repito, e não sei o efeito que terá no futuro do trabalho da P.J.”

Quando neste espaço deixei que a Sra. Maria Alice, convictamente, considerava que só nas famílias pobres verificavam-se abusos sexuais, quando esta dizia que eram a “fina flor do entulho”; quando aqui escrevi que uma menor foi novamente abusada com o conhecimento e industriada pela P.J., Departamento de Setúbal, coordenado pela Senhora Maria Alice, muitos de Vós não acreditaram, era demais, o tipo está preso e está desesperado! Pois bem, retirem as vossas conclusões!

Eu, sem surpresa confirmei o que já sabia e testemunhei: a desonestidade intelectual, a estreiteza de espírito e mediocridade foram sempre propriedade característica da Sra. Alice!

Pelo que testemunhei durante o tempo que trabalhei com este espécime retrógado e atendendo às suas palavras, só posso concluir que terá sido uma excelente mãe e esposa porque profissionalmente provou ser muito fraca!

Uma mulher a diminuir o seu género. A vomitar barbaridades que não a dignificam, a rebaixar todas as funcionárias Inspectoras, Inspectoras-chefes, Coordenadoras e Coordenadoras-superiores da P.J., só revela a mesquinhez e falta de liderança, racionalidade e bom-senso. Foi esta personagem serôdia que freneticamente tudo fez para me prender e condenar!

Que derrota a minha! Perder é mau, ser derrotado temporariamente por alguém assim, é terrível!

A semana continuou profícua: erro judicial no caso “Máfia de Braga”! Supremo negou os Habeas corpus! Durante a semana, “os meus” comentaram: “Ó Pedro, só no teu caso é que não cometeram erros!”. Será que não? Vamos aguardar…

Curiosidade: Ana Saltão, Inspectora da P.J., assiste a um novo testemunho que a incrimina!

Os comentadores, fazendo eco das palavras dos Magistrados do Julgamento, dizem que não é a Polícia Judiciária que está a ser julgada!

Como não? Sábado, 1 de Abril de 2017, “Correio da Manhã”: “Vítima desenterrada. Juiz que julga Ana Saltão quer radiografia do cadáver”. Quatro anos após o sucedido existem dúvidas? Foi o Instituto de Medicina Legal? Deixem-se disso: eu estive 15 anos desse lado das grades!

Começou a Instrução do processo do “caso Fizz”. Na televisão vê-se o Dr. Orlando Figueira de óculos escuros a dizer que não presta declarações à imprensa!

Vou criticar os óculos escuros? Claro que não! Vamos só confirmar: estar preso preventivamente é horrível! Dizer que se deseja voltar para a prisão é desonesto!

Eu fui à minha Instrução, ao meu Julgamento, ao dentista, ao médico, sempre algemado, transportado como um “animal perigoso”, colocado em calabouços!

Caminhar dignamente, sozinho, sem algemas, confrontar o Tribunal sem escolta, faz toda a diferença. Querem falar sobre os óculos? Pois bem, não são permitidos! E eu fico tão bem de óculos escuros e fato (conforme atesta a minha mãe!)

A minha mãe. Os meus pais visitaram-me na 5ª feira, dia 8 de Junho. No dia 9, sexta-feira, no dia em que o Orlando Figueira de óculos escuros, sem escolta, dizia não desejar fazer comentários, a minha mãe completou 73 anos.

Vi a minha mãe na quinta-feira porque na sexta não posso ter visitas.

Não pude estar com ela no dia do seu aniversário.

Confirma-se: é desonesto dizer que se quer voltar para a prisão!

O espião Carvalhão Gil foi acusado, esta semana, pela prática dos crimes de Espionagem (5 a 15 anos), Violação de Segredo de Estado (3 a 10 anos), Corrupção passiva (1 a 8 anos) e está em casa com pulseira electrónica!

Este facto, sem surpresa para mim, confirma algo! O quê?

Confirma que a minha medida de coacção é uma autêntica palhaçada judicial! Uma vergonha!

Os meus pais visitaram-me. A minha mãe “Ju” luta contra o “bicho-mau” que dentro dela, qual harpia, avidamente, insidiosamente a quer derrotar.

Com surpresa ouvi a minha mãe dizer: “E se não tenho tempo para te ver em Liberdade?”

Foi uma surpresa porque nós, os “De Sousa”, somos geneticamente optimistas, alegres, de bem com a Vida e com o que ela nos dá, lutadores!

Foi um pequeno momento de fragilidade, compreensível, humano.

Depois da visita pensei neste momento, não com tristeza, pelo contrário, com alegria porque o resto da visita foi passada a rir!

Perante isto, e depois de atentamente ler a entrevista de George Steiner ao jornal “Expresso” (in  revista “E”, edição nº 2327, de 3 de Junho de 2017) retive esta passagem que desejo partilhar contigo mãe! “Ouve” esta: “Uma onda gigante está prestes a acabar com o mundo daqui a 10 minutos. O Católico começa a rezar pela salvação. O Batista apressa-se a deixar as finanças em ordem. E o Judeu diz: se faltam 10 minutos, ainda posso aprender a respirar dentro de água.”

Uma curiosidade: temos sangue judeu na Família, minha querida?

Eu julgo que não, porque da última vez que olhei, o meu prepúcio ainda cá estava!

Sorri sempre, minha Mãe, já faltou mais e todas as semanas abundam surpresas e/ou curiosidades que confirmam tudo o que o teu filho (sem óculos e com vontade de comentar) aqui, neste espaço, tem deixado! Beijoca!

 

Anúncios

6 thoughts on ““Surpresas, curiosidades e confirmações após (mais) uma semana!”

  1. Caro João Sousa:
    independentemente de ser considerados culpado ou inocente (oxalá se possa provar a sua inocência inequívoca!), nem imagina como me agrada a sua capacidade de denunciar as arbitrariedades de que é vítima e o tratamente diferenciado a que é sujeito. Parece incrível, mas os ideais das Luzes ainda não são completamente clarividentes aqui.
    Um abraço e continue assim.

  2. Penso que o Sr. deveria saber, melhor que ninguém, que nesta pseudo democracia, onde impera a denúncia e até brevemente será premiada, as escutas, as investigações, com ou sem fundamento, terra minada de policias e gnr s (desculpe), onde são promovidos a heróis (????), nao se pode ter livre expressão, e muito menos, criticar os donos disto tudo. O Sr tem por obrigação melhor que ninguém, saber isto.

    Desejo-LHE BOA SORTE

  3. Bom post Sr, João (permita-me que o trate assim mesmo sem o conhecer), e usando de sádica ironia (se é que se pode dizer uma alarvidade dessas) porque é que o Sr. não se oferece para fazer uns doces ou servir uns cafés aí por ébola, e receba assim um louvor, e fazer com que o ódio que as pessoas que decidem, o ouçam imbuídos de verdadeira justiça? Força meu caro, a verdade um dia chegará.

  4. Em primeiro lugar um beijinho carinhoso para a “Ju” Senhora sua Mãe e desejo de melhoras e longa vida para poder desfrutar em Liberdade a presença do seu filho. Em segundo lugar, agradecer por mais este brilhante manual de reflexão sobre o compadrio do sistema judicial. Amanhã o sol brilhará se Deus quiser.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s