“Emoções”

Prisão Preventiva: 2 anos, 3 meses e 19 dias!!!

Leitura da sentença, faltam: 64 dias!

“Quando eu estou aqui, eu vivo este momento lindo / Olhando para você e as mesmas emoções sentindo […]”

O verso é de Erasmo Carlos e de Roberto Carlos. A canção: “Emoções”!

O ano é de 1982. Tenho 9 anos, estou em Cabanas de Tavira (Algarve) de férias com a Família.

A Itália vence uma fabulosa selecção do Brasil, a selecção que tinha o nosso apoio. Portugal estava muito distante das finais. Diego Armando Maradona (na modesta opinião deste esquerdino preso, sem talento para o desporto-rei) o melhor jogador de todos os tempos, estava a 4 anos de se tornar imortal no México!

Nessa altura, nesse tempo, há 34 anos atrás, tudo era azul brilhante, sol, felicidade!

Mesmo com a derrota do Brasil e a ausência da selecção das quinas.

O ano é 2004. A minha casa, o tal castelo fruto da corrupção, estava cheia, com a Família.

A minha “Princesa Piu-piu”, a Leonor, tinha 15 meses!

Foi uma tragédia grega. Chorámos ao ver os portugueses a apoiarem a Selecção, antes do jogo, chorei ao ver o miúdo Ronaldo a prantear!

O meu afilhado ao ver o Padrinho chorar, com 6 anos, questionou-me:

– Porque choras padrinho? – tocando-me na mão, antecipando, em cerca de 12 anos, a imagem de um menino que consolou um adepto francês!

“[…] São tantas já vividas, são momentos que eu não me esqueci / Detalhes de uma vida, histórias que eu contei aqui […]”

As minhas filhas aprenderam o hino nacional – “A Portuguesa” – a verem as celebrações do 25 de Abril, do dia de Portugal e os jogos da selecção!

Pára tudo em casa! Todos em linha em frente ao televisor. Mão no peito. A Helena sempre colocou a mão esquerda sobre o lado direito! Desde pequenina. Aprendeu a colocar a direita sobre o peito, aprendendo também que o coração não fica à esquerda, está ligeiramente à esquerda. E a mão direita porque a “canhota” (conquanto o pai seja “canhoto”) atendendo à tradição judaico-cristã, não é muito “bem vista”!

Sempre que oiço o hino nacional, emociono-me. Sempre que o oiço, desde o nascimento das minhas filhas, emociono-me mais porque olhando-as ao meu lado, sinto orgulho nelas e em ser português. Durante o campeonato da Europa de 2016, emocionei-me a ouvir o hino distante, um som abafado porque mudava de canal. As minhas filhas não estavam ao meu lado. Eu estou sozinho numa cela!

O meu “filho-homem” tem dois anos e eu nunca o vi ao lado da mãe, das irmãs, com a pequena mão direita, no pequeno peito, a olhar para elas a ouvir o hino e no final a erguer a pequena mão e gritar: “Gall!!!” (entenda-se “Portugalll !!!”)

Na quinta-feira, 7 de Julho de 2016, vesti a camisola da selecção que a minha “ninhada” me ofereceu, em 2014, repito, em 2014, para vestir e acompanhar o Mundial, para cantar o hino antes de cada jogo, enquanto eles cantavam lá em casa!

Em 2014, estava em prisão preventiva, em 2016, ainda estou em prisão preventiva.

Na camisola mandaram estampar o número “10”, à frente e nas costas, sendo que nas costas colocaram também o nome: “De Sousa”! “10”: o número do Maradona!

– É para estarmos juntos, pai! – isto em 2014!

Na quinta-feira, antes do jogo, vesti a camisola. Queria que a Família ficasse feliz.

O pai também estava feliz com a selecção! Foi dia de visita.

O dia do jogo, a final, foi um dos dias mais tristes que passei aqui. O dia das emoções estranhas, incómodas.

Mais triste, só o dia em que o Jr. nasceu (estranho, não é?) e os dois 25 de Dezembro: o de 2014 e o de 2015!

“Onde estavas, quando a D. Amália faleceu?”; “Onde estavas, quando o Carlos Lopes ganhou a maratona?”; “Onde estavas, no 25 de Abril?”; “Onde estavas, quando Portugal foi campeão da Europa pela primeira vez?”

Estava sentado, sozinho, no beliche, na cela 9 (olha! O número do Éder! Eu não ligo à numerologia, só aos números da minha medida de coacção!) preso preventivamente há mais de 2 anos e 3 meses! Desde o Mundial de 2014!

Estava a chorar, sozinho!

De alegria? Não, a chorar de tristeza, a mais profunda e excruciante tristeza!

“[…] Amigos eu ganhei, saudades eu senti partindo / E às vezes eu deixei, você me ver chorar sorrindo […]”

Uma tristeza horrível, estranha, incómoda! Sabem como assisti ao golo?

Aqui em “Ébola” temos notícias sempre com atraso: os jornais não entram, só entram pelas visitas, estamos sempre com um dia ou dois (ou mais) de atraso.

Com o golo foi a mesma coisa, só que ao contrário!

O Cabo Costa (“serial killer” de Santa Comba Dão) no outro extremo da prisão, onde fica a sua cela, tira o som à televisão e ouve o relato da rádio.

Assim sabe mais depressa, antes dos outros, quando o seu Benfica marca! Com a selecção é a mesma coisa! Ele está sempre atento, alerta, vigilante (sim, mais uma vez, eu, o “soberbo”, é que tenho o perfil, eu é que o observo há mais de 2 anos, mais uma vez, “arrogantemente”, vou colocar em causa os comentadores, os falsos estudiosos; o que depois vou escrever tem o cunho da experiência e do saber real! Eu estive lá! Em carne e osso, a observar atentamente!).

Então, vi assim o golo: ainda flectia o Éder para o centro, tinha suportado o encosto do chauvinista central francês, ainda não tinha rematado, e já gritava o famoso Cabo Costa: “Golo de Portugal! Golo!” – enquanto histérico batia nas grades.

Portanto, antes de ser já era! É bom, não foi?

Não tive reacção imediata: apenas senti tristeza!

Entretanto Portugal tornou-se Campeão da Europa de Futebol!

Olhei em volta e não vi as minhas filhas, o meu menino, a Família! Olhei em volta e estava só!

Ouvi gritos, impropérios, festejos de raiva: batiam nas grades porque Portugal era Campeão ou batiam nas grades porque estavam atrás das grades? Um barulho infernal!

Vi um sujeito na televisão a dizer: “Tenho esta para contar aos meus filhos e aos meus netos” – chorando.

Não aguentei e, chorando, apaguei a televisão. Só no dia seguinte vi o Ronaldo a erguer a taça!

O meu Sporting quase que era campeão este ano! Foi um sentimento agridoce: tinha prometido às “princesas” que íamos ao estádio e depois para o Marquês festejar quando os Leões fossem Campeões. Estava preso, faltaria ao prometido. Os “outros” ganharam o campeonato mas eu não faltei ao prometido! Com a selecção, eu não estava lá!

Há 2 anos e 3 meses que não estou lá, sem estar condenado.

A semana passada a minha filha Helena, na piscina, saltou da prancha dos 3 metros! Eu não estava lá! O meu filho já deu umas braçadas! Eu não estava lá!

“[…] Sei tudo o que o amor é capaz de me dar / Eu sei já sofri mas não deixo de amar / Se chorei ou se sorri / O importante é que emoções eu vivi […]”

Orlando Figueira, magistrado, quando aqui preso preventivamente, em certa ocasião disse-me que ninguém o repararia pelo facto de o terem afastado do filho durante 4 meses, que não poderia estar com ele na despedida no aeroporto! Compreendi a sua angústia na altura, entendi tão bem que nem relevei o facto de ele estar a falar com alguém que há mais de 2 anos e 3 meses não está com os seus filhos, menores. Não foi falta de consideração, ou falta de empatia, ou mesmo egoísmo: são as emoções a falar, o amor incondicional aos nossos, ao nosso sangue!

Quanto à conquista do título de Campeão Europeu, o que vamos fazer com ele?

Como pode ajudar o país?

Eu, vou emular vários exemplos da selecção!

Diz-nos o Erasmo e o Roberto Carlos:

“[…] Em paz com a vida e o que ela me traz / Na fé que me faz optimista demais […]” 

À semelhança do Eng. Fernando Santos, permitam-me que vos diga, ainda que tudo possa indicar o contrário:

Já avisei a minha mulher e a “ninhada” que volto para Casa a 20 de Setembro de 2016 e vou ser recebido em festa! (comuniquei-lhes esta quinta-feira, 14 de Julho de 2016)

É uma questão de fé? Não, não fui ainda receptor desse dom da Graça, sou agnóstico!

É o optimismo de Erasmo e do Roberto Carlos? Não, conquanto tente sempre ver o “copo meio-cheio”: é fruto de um elementar exercício de racionalidade!

Mas, racionalmente, não podemos esquecer a sentença canónica:  Quia in Inferno nulla est redemptio  (“Para quem está no Inferno não há redenção”). Ou seja: foi mantida a medida de coacção – prisão preventiva – a três meses da leitura da sentença, estás no “Inferno” e aí ficarás! Não! Dia 20 de Setembro de 2016 volto para Casa e vou ser recebido em festa!

Só não vou a 20 de Setembro se a Meritíssima for mazinha e ler o acórdão muito devagar, adiando assim o final da leitura para 26 de Setembro de 2016, como previsto!

A Meritíssima não é mazinha, ela está somente a aplicar a Justiça; assim sendo, dia 20 de Setembro de 2016 volto para Casa e vou ser recebido em festa!

Mais, à semelhança do Eduardo Madeira, mas com uma parede abdominal mais sexy (porque ando a trabalhar para isso!) está prometido que farei nu integral (só com um pequeno objecto – um pequeno cravo vermelho – porque não é necessário algo maior a cobrir o que a descoberto ficará) no dia em que regressar a Casa:

20 de Setembro de 2016!

E se assim não for? E se a minha análise estiver errada?

Voltemos ao exemplo da Selecção Nacional, ao capitão Ronaldo:

“Vai João! Anda, João! Tu bates bem… tu bates bem… anda marcar! É uma lotaria, que seja o que Deus quiser. Se perdermos que se f …!”

“Se chorei ou se sorri, o importante é que emoções eu vivi!”

Anúncios

17 thoughts on ““Emoções”

  1. Espero que você possa ir para casa e absolvido porque me parece que já pagou o que tinha de pagar.
    Espero tambem que em Portugal a justiça seja célere e que os nossos
    Magistrados entendam que o tempo nāo é igual para quem espera uma decisāo juridica estando detido, em minha modesta opiniāo os que representam o Estado e Nação Portugues deveriam de pensar que a privar alguem de sua liberdade deveriam dar se um pouco mais de pressa em julgar a pessoa em questāo porque ao demorar anos em julgar essa ou esse suposto arguido causam sofrimento aos seus familiares e inumeros danos morais impossiveis de reparar a todos.
    Eu nāo sei se você é culpado de algum crime mas sei que a justiça deve ser rápida e como disse alguém ” antes um culpado em liberdade que um inocente preso”.

  2. PS. Esqueci me dizer que nas ultimas semanas li comentarios de um ilustre comentador que se apelida ” Carrasco” e se sabe tanto ds seus supstos crimes que se apresente nos lcais proprios para denunciar ou se já o fez que deixe este blog para os que desconhecem o processo.

    • Foram alguns como o carrasco que levaram o que sabiam aos locais certos, que levaram com que o João de Sousa foose preso. Depois há os ignorantes que apoiam os bandidos… e não querem ver o óbvio. Corrupção em todo o lado? Temos o que merecemos, cambada de burros que ainda apoiam quem os roubou. Todos os milhões que este bandalho e outros desviaram, somos nós (os que trabalham) que vão pagar

  3. Fizeste-me recuar 30 anos a trás. Decorria o ano de 198_ jogo no pavilhão em Sacavêm, estávamos empatados, penalti cometido contra o mais novo, JP, ai alguem grita, bate tu Sousa, bate tu Sousa, pq bates bem. Final da história, ganhamos o jogo por 4-3. Abraço

  4. João,
    Faltam 64 dias para que tudo se resolva, espero que a teu favor, pois quando conhecemos uma pessoa ficamos sempre com a esperança de essa mesma pessoa não tenha feito as “coisas feias” de que te acusam.
    Coragem.
    Beijinho
    Patrícia Rodrigues
    (Gentil)

  5. Acreditando nos números, vê lá se o 10 da tua camisola não vai ser o tempo que lecas de prisão….
    O não estar com os filhos e essas lamechisses devias pensar quando andavas a cometer crimes, se levasses a tua vida de forma correcta e honrada não estavas agora com conversas dessas… Mesmo que leves 10 anos ainda vens a tempo de ir com a tua filha comemorar o sporting campeão, não te preocupes….
    O mau é que se ficas muitos anos de cana, a tua mulher derrete o dinheiro que andaste a “amealhar” com as tuas atividades e se por acaso arranja um gajo para a aconsolar, ainda vai mais depressa

  6. Não sejam assim, coitada da senhora…. com dinheiro, com tempo (sem trabalho) com o manso longe e sem dar uma queca há mais de dois anos…. se não desse umas por fora, já era quase virgem outra vez. Mas faz bem, se o burro se deixou apanhar, bem merece um par de cornos, só pela vergonha e pelas chatices que ela tem agora.

  7. Realmente …..estes comentários ofensivos, mais parecem comentários do “Carrasco”,que agora se intitula de “Anónimo”..É muito fácil “bater no ceguinho”,quando ele não pode se defender…tenha vergonha sr anónimo ou carrasco ou o raio que o parta……Força sr João,quando sair ,que seja breve,se souber quem é esse carrasco,faça a sua justiça,que ele está pedindo,ao ofendê-lo a si e a sua esposa,mulher e mãe coragem…Coragem…coragem..

  8. A PJ de Setubal, segundo o Sr. João de Sousa, não valem nada, são incompetentes e por aí a fora. Imaginem se fossem bons e competentes! Tão maus tão maus mas foram inteligentes ao ponto de o mandarem ver o sol a nascer aos quadrados mais de 2 anos.

  9. Se o coitadinho não recebe ordenado há 2 anos e a tadinha da mulher não trabalha quem paga as despesas???? Aldrabazeco conta como fazes???? Quem paga a casa ao banco??? Não me digas que são as tuas amigas que pagam?????

  10. Oh! Sr Anónimo,pelos vistos, na sua realidade social só existem este tipo de homens e mulheres!! mas olhe, que a sociedade não é só feita desses nichos reles, felizmente. Existem muitos mais.

  11. Não pode uma pessoa vir de férias, atrasar-se um bocadinho, e logo surgem novos carrascos! Bom sinal! É sinal que o povo já não se deixa enganar e percebeu há muito as patranhas do sousa! Com a mania que tem um nome fino (de Sousa!), com a mania que é sexy (valha-me deus!), a mandar postas qual inspetor boss (quando comprava fatos na zara com o cartão de crédito!), tanta vontade de ser cagão (e não passa de um ladrao de trazer por casa!) então nada mais merecido que uns bons anos na prisão a baixar as cuecas, tossir três vezes e a brincar no duche com os amigos. Ainda não contou a história do seu amigo e das festinhas que ambos fazem, aliás é muito ágil a chamar o cabo de serial killer, mas depois não conta a alcunha dele na prisão… Um tipo que a todos se gaba que quando chegar cá fora terá mil oportunidades de emprego no mundo do crime, mais de 10 mil euros na conta à ordem, anel de ouro com inscrições em latim e roubado pelo boçal do Paulo, merece muitos anos a bem da justiça e da nação.
    A Polícia Judiciária é, ainda hoje, a mais nobre instituição de justiça em Portugal, com enormes pergaminhos na Europa e no mundo, com um passado de reconhecido mérito, e que (atenção agora) sempre soube encontrar as suas ovelhas negras, purgando as cobras sem necessidade de recorrer a outros órgãos de polícia criminal.
    O Sousa é um trafulha, um simples ladrão, com filhos ou sem filhos, um ladrao.
    E ao ladrao? Nada senão prisão!
    Boas férias em Évora, aproveita o fresquinho, e não chores em Setembro de 2019 quando ainda faltarem uns aninhos. Em Setembro de 2016 só terás a certeza que podes enganar muitos, mas não a justiça de Portugal!

  12. Sr. Carrasco, a PJ a mais nobre instituição da justiça em Portugal?? Não me faça rir, deve desconhecer os métodos do tempo do Fuzileiro,?! Estavam a dar bronca, até que a Direcção Central lhe meteu travão. Compras combinadas, encomendas e provocação, infiltrados, tudo à margem do capa negra. Tudo bons rapazes.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s