“Melancolia”

Prisão Preventiva: 2 anos, 2 meses e 15 dias!

O texto desta semana nasce num momento, num ponto para o qual convergiram várias situações, notícias e um acumular denso de sentimentos e emoções.

Na passada semana entraram em “Ébola” os meus DVD`s do Maestro Pavarotti: “Pavarotti Forever”, “Pavarotti and Friends”.

Revendo, recordando com dor as manhãs de Domingo em minha Casa, onde acordávamos ao som de Pavarotti, Bach ou, mais recentemente, “One Direction”; dançando ao som de Paco de Lucia, tentando imitar Joaquín Cortés com a Helena a bater os pés como quem mata baratas, a certa altura, dentro da cela, nos meus nove metros quadrados, ora húmidos ora angustiantemente abafados, oiço o “Intermezzo” da “Cavalleria Rusticana” (DVD “Pavarotti: My heart delight”, com Nuccia Focile, soprano. Vejam e oiçam!). E sentado que estava na cadeira de plástico que tenho (permitindo uma das duas posições possíveis durante as mais de 16 horas que passo diariamente no “jazigo”: sentado ou deitado!) como na célere transmissão que se verifica no ponto de contacto entre duas células nervosas, fulmina-me a imagem de Al Pacino, já idoso, sentado numa cadeira, num pátio de uma vila siciliana, com um cão pequeno de volta das suas pernas, desfalecendo o Dom Michael Corleone, caindo nos braços da morte enquanto se ouve o “Intermezzo”!

Da “Piazza Grande”, em Modena, 1993, dei um salto de memória a 1990, ao filme “Padrinho III”!

Tudo isto também porque fui notificado a 6 de Junho de 2016 que o meu julgamento, mais uma vez, foi adiado!

A mente humana é maravilhosa, podemos viajar economicamente mesmo fechados num “jazigo”!

Mas este efeito ou acção de memorar pode ser igualmente pernicioso. Na Psicologia falamos de “memoração” como a integração de lembranças na personalidade do indivíduo: se as memórias são boas, óptimo, se não o são …

2 anos, 2 meses e 15 dias de profunda dor, incerteza e até disfarçado (às vezes mal disfarçado) desespero, não deve ser muito saudável!

Acompanhem-me, por favor!

Perturbações do Humor: Perturbação Distímica “[…] É caracterizada pelo menos por 2 anos de humor depressivo durante mais de metade dos dias, acompanhado por sintomas depressivos adicionais que não preenchem os critérios para Episódio Depressivo Major[…] Os sujeitos com Perturbação Distímica descrevem o seu humor como triste ou «em baixo» […]” (in “DSM, Manual de Diagnóstico e Estatística das Perturbações Mentais”)

Que quero eu dizer; que sofro de Perturbação Distímica porque há 2 anos, 2 meses e 15 dias, durante várias horas do dia, experimento humor depressivo?

Não, não creio. Creio estar a experimentar outra coisa!

Na mesmíssima semana (tudo contribuiu para este opúsculo psicanalítico) li a entrevista de Terry Gillian ao jornal “Expresso” sobre o filme que vai realizar, “The man who killed D. Quixote”:

“[…] – é um homem melancólico?

 – Sou. “D. Quixote de la mancha” também é. Melancolia é uma palavra que as pessoas já quase não usam. Não é depressão, é um sentimento de perda de qualquer coisa, ou algo extraordinário que já foi vivido e que não voltará a ser. […]”

Fiat lux!

É isto mesmo, Mr. Gillian: eu estou melancólico!

Nova sinapse: a imagem da “Melancolia I”, de Albrecht Dürer (1514).

Ali está ela a ilustrar este texto.

Os meus alunos sabem que sempre recorri a obras de arte para ilustrar conceitos, explicar enviesamentos cognitivos, para melhor explicar a forma de realizar de modo profícuo uma “gestão holística da cena de crime”. Pois bem, aqui verificou-se de forma inconsciente o mesmo (leiam a monografia de Panofsky sobre Dûrer!)

“[…] Sentimento de perda de qualquer coisa […]”

É verdade. Como as coisas simples são as mais belas … um simples sorriso, um simples poema, um poema que pode ser tão intenso e transmitir aquilo que nos faz sentir um frio na barriga, um nó na garganta …

… O “Quijote” de Julio Iglesias: “ Soy de aquellos que sueñan con la libertad / Capitán de un velero que no tiene mar / Soy de aquellos que viven buscando un lugar / Soy Quijote de un tiempo que no tiene edad […]”.

Eu estou a perder há tanto tempo, há tanto tempo que busco e quero o meu lugar …

E como diz o Julio, também eu “Soy feliz con un vino y un trozo de pan”, eu aguento aqui “sem” o vinho e um pouco de pão mas, como ele, acrescento: “Y también, cómo no, con caviar y champán”. Tenho a garrafa de champanhe lá em casa à espera, há 2 anos, 2 meses e 15 dias!

Mas o poema continua “Y mi Dulcinea, dónde estarás? / Que tu amor no es fácil de encontrar / Quise ver tu cara en cada mujer / Tantas veces io soñé que soñaba tu querer …

Melancolia … tudo contribuiu para este texto …

Dia 9 de Junho de 2016 a minha mãe fez anos!

Lamento, minha querida, teres que ver o teu filho a passar por isto. Lamento a dor. Parabéns!

E agora o mais importante: quando Dürer fez a “Melancolia I”, nesse ano, 1514, a mãe dele também teve uns problemas de saúde. Minha querida Mãe, 503 anos depois já não se fazem sangrias e a Medicina evoluiu muito, assim sendo, hoje tudo se resolve e a Medicina portuguesa é muito mais célere, capaz e humana que a Justiça Lusa! Mais, se eu tenho aguentado tudo isto é porque a tua genética e educação deram-me ferramentas para o fazer, logo, tu tens contigo as armas e o escudo para esta tua batalha. Lamento não estar aí agora, mas sabes que estou. Beijo!

Melancolia …

Dia 13 de Junho de 2016, dia de Santo António, a minha mulher, mãe dos meus filhos, “irmã”, completa 40 anos! Parabéns!

Dia 13 de Junho de 2016, dia de Santo António, a minha mulher, mãe dos meus filhos, “irmã”, celebra também 14 anos de casada. Casámos no dia do seu aniversário! Já o disse aqui: não fui uma prenda muito boa. Lamento, “minha irmã”, amiga, tudo isto! Lamento toda a dor, toda a desilusão, toda a privação e provação. Lamento …

Melancolia …

Ouvindo Pavarotti recordei-te: “Donna non vidi mai”, Giacomo Puccini, “Manon Lescaut”. “Donna non vidi mai / Simile a questa!” (“Eu nunca vi uma mulher, como esta!”)

Lamento, tudo, minha “irmã”!

Melancolia …

Sinto-me um autêntico “cavaleiro da triste figura” porque, ainda, não posso estar junto dos meus quando eles mais precisam, incerto o meu futuro deixo aqui palavras como uma mensagem numa garrafa deitada ao mar, para os vindouros, para alguém …

Esta semana, que semana, li também a entrevista da Exma. Sra. Ministra da Justiça, Dra. Francisca Van Dunem.

“[…] Costumo dizer – e isto mantém-se actual – que o meu presente é o mais imprevisível de todos os futuros que pudesse imaginar […]”

Como a entendo: disse aos meus, e partilhei com o(a) Leitor(a), que neste meu Calvário todos os prazos seriam criteriosamente respeitados no seu limite máximo – decisões, despachos, deferimentos e indeferimentos – na 24ª hora do último dia!

Aqui estou eu no mais imprevisível dos futuros há 2 anos, 2 meses e 15 dias!

“[…] ou algo extraordinário que já foi vivido e não voltará a ser[…]”

Para além de ter perdido 2 anos da vida do Jr., das “princesas”, também Melancólico estou porque há coisas que já não voltam mais … ou voltarão? O “Peter Pan”, o conforto, o carinho, o prazer …

Melancolia … tenho saudades das aulas, das inspecções judiciárias, dos homicídios, de mim …

Analisemos a figura.

Vejam, atentem no olhar do anjo de asas caídas, um olhar de descontentamento, fúria contida, uma tristeza, um vazio pessoal como se tudo fosse derrota, sem esperança!

Dizem os estudiosos que a imagem do anjo poderá representar uma “pausa depressiva” depois de algo, ou, o “compasso de espera pela revelação de algo”.

As asas caídas: a espera!

O compasso na mão: a medição, o cálculo, a ordem que deve imperar, a razão.

A ampulheta: o tempo, da espera, da privação, o novo tempo?

E a escada? O caminho, a ascensão, o subir a um plano mais elevado.

O cão deitado? Deitado ao pé do dono, símbolo de resiliência, coragem, perseverança.

Na “Revista Lusófona de Ciência da Religião (2012)”, José Carlos Calazans (Centro de Estudos em Ciência das Religiões) debruça-se sobre “A Melancolia de Albrecht Dürer”.

Lê-se: “[…] Exprimiu o problema da apatia e do desalento pelos enigmas que as suas especulações não conseguiram resolver […]”.

Mais à frente: “[…] De facto, todos os elementos simbólicos representados nesta gravura estão ligados à personalidade de Dürer, expressando o seu pensamento religioso e místico mais íntimo, a sua situação face ao mundo que conhecia, o sentimento de dúvida e de angústia, a experiência da vida e da morte, mas também a preocupação de deixar uma marca muito pessoal, incontornável e inequívoca da sua identidade e do grau iniciático que tinha atingido […]”.

É isso, é isto, tenho agora a certeza, Caro(a) Leitor(a), estou Melancólico, o que experimento é Melancolia! A mente humana é maravilhosa, as coisas que enquadra e correlaciona! Obrigado minha mãe por todos os livros que compraste para eu ler!

Estou Melancólico, experimento desalento porque ainda não consegui resolver isto tudo, alimento sentimentos de dúvida que muito me angustiam: o que vai ser de mim e da minha Casa?

Face ao mundo da Justiça que bem conheço: o que irá suceder?

Dia 16 de Junho de 2016, quinta-feira, está prevista a realização de audiência de Julgamento (espero que se realize)!

Nesse dia, a Exma. Sra. Magistrada do Ministério Público vai fazer as suas alegações finais. Ficarei nesse dia (se não adiarem mais uma vez) a saber qual a pena requerida pela Acusação, quantos anos!

Compareçam! Agora se perceberá tudo! A audiência é pública, aberta a todos! É o momento antes do final momento (a sentença).

Qual é a minha previsão?

Depois de tudo isto não o consigo fazer: prever racionalmente alguma coisa no meu processo!

Invoco a imagem novamente: a balança está lá, a ampulheta também, o sino que toca boas novas ou repica quando o carro fúnebre entra no cemitério … mas também lá está a escada e o radioso sol, a Aurora Consurgens! E vejam! O arco-íris! Visível às vezes no céu durante ou após um aguaceiro …

 

 

Anúncios

40 thoughts on ““Melancolia”

  1. Meu Caro,

    Tenho-o acompanhado todas as semanas, reflectindo por vezes sobre o processo em si, mas acima de tudo acerca da condição humana.
    Posso não ter certezas sobre a sua culpabilidade, presumo-o inocente, mas devo dizer que tem a sorte de ser imensamente livre por dentro e isso, mesmo atrás das grades, não o tem feito prisioneiro.

    Abraço e Justiça para dia 26

  2. Não estás melancólico, estás todo borrado. Tu é que te colocaste aí, ó manipulador.
    Mais uma vez a seduzires a manipulares. Lamentas? Pede desculpa aos lares que desfizestes, às colegas e outras que manipulaste para teu interesse e prazer. Estás todo cagádo, julgas que vais conseguir seduzir a Juiza e a Procuradora? Fala dos filhos a ver se tem pena de ti! Manipulador!
    Agora nada te vale o fato e a gravata nem ofereceres flores como fazias nos hospitais e com as procuradoras, eh!eh! nem um mar do rosas te vão safar!
    Não liguem ao Melancólico, estás acabado bebe água e come pão raçoso que é o que mereçes, quem vai beber do bom sou eu, o último a rir ri sempre melhor. Olha o arco-iris aos quadradinhos, ainda vais ter muitos anos de visitas … Apodrece aí ó Padrinho!

  3. Parabéns à Mulher, Esposa e Mãe pelas 40 primaveras. Desejo que os próximos e que sejam muitos sejam passados com mais alegria e, acima de tudo com saúde. Bj

  4. 2º.Comentário dirigido ao “sei-quem-tu-és” ou “carrasco” que será o mesmo animal. Não cuspas para o ar….. quem com ferros mata, com ferros morre. Tem cuidado que ao virar da esquina podes tropeçar.

  5. Agora malandro tás melancólico, com saudades , só se for de chamares burros aos outros, ou terás arranjado outros a quem chamas burros.
    Então e a amante que vive a 5 minutos da tua casa, não tens saudades dela. E dos encontros com os teus comparsas de crime.
    Cala a boca e não chateies. Tretas.

    • No dia dos anos da mulher e do aniversário de casamento , você vem falar de amantes??? Não me diga que você é dos que ele chamava burro muitas vezes??? Tenha o que quiser contra ele mas a mulher já passou que chegue.

  6. É lindo ver esses justiceiros do dia 23 de cada mês aqui a destilar as suas frustrações. Ou muito me engano ou estes estão a seguir o mesmo caminho que levou o Sousa a Évora e depois lá aparecerão outros carrascos a gozarem com eles

  7. Bons dias a todos,

    Já escrevi aqui algumas vezes e tentei sempre, nem ir contra o Sr. João de Sousa (que não conheço) nem ir a favor… à Justiça o que é da Justiça!

    Já vários internautas disseram para colocar aqui a acusação, ao menos sempre saberíamos um pouco mais do que se está a falar, mas o Sr. João de Sousa nunca a colocou e portanto lá terá os seus motivos… sucede que ficamos apenas com a sua visão e os seus escritos, nada mais.

    Desejo-lhe que tudo corra como desejar e que as instituições funcionem, ou seja, se o Sr. enquanto arguido for inocente, absolvam-no sem grandes considerações, se for culpado então terá que ser condenado e como um Agente da Autoridade então leve uma pena exemplar, isto porque os Polícias devem combater e reprimir o crime, não compactuarem com ele.

    Alturas houve em que pensei que tudo isto fosse um engano, mas à medida que vejo os seus textos algo desesperados, soa-me que está com medo, ora quem não deve não teme, mas é apenas a minha opinião, vale o que vale.

    Boa sorte.
    Cumprimentos a todos

    • Cavalheiro, o tipo não põe a acusação senão isto era um limchamento! O João Sousa não roubou uns trocos, não andou de carros com quem não devia, não beber três cervejas e bateu… ele era parte de uma rede criminosa! O grupo ganhou milhares de euros a lavar ouro roubado, não faturado, para fora do país em malas e aviões privados, e o Sousa tratava de tudo! Era motorista, era informador, e reunia-se com o grupo na cave para receber o dinheiro e as ordens! É tão bom ter um amigo assim não é? Que passava a vida na PJ a fazer biscates para os amigos (afinal era quem lhe pagava melhor) e ele não gostava da PJ, cambada de burros que trabalham uma vida toda honesta para ganhar 2000 euros? Então e os meus fatos? As jóias da patroa? As viagens às escondidas? Os perfumes? As coleções? As contas dos miúdos?
      Não! A vida é boa é a roubar…
      Continua ladrao! Leva o pão do almoço de alguém e vais ver o que te acontece…
      P.S. Já agora, adeus ADSE, adeus pensão, adeus subsídio de verão, olá prisão!

  8. Um poema feito à sua medida.
    Esta é a prenda que lhe deixo, com saudades!

    Melancolia

    Oh dôce luz! oh lua!
    Que luz suave a tua,
    E como se insinua
    Em alma que fluctua
    De engano em desengano!
    Oh creação sublime!
    A tua luz reprime
    As tentações do crime,
    E á dôr que nos opprime
    Abres-lhe um oceano!

    É esse céo um lago,
    E tu, reflexo vago
    D’um sol, como o que eu trago
    No seio, onde o afago,
    No seio, onde o aperto?
    Oh luz orphã do dia!
    Que mystica harmonia
    Ha n’essa luz tão fria,
    E a sombra que me guia
    N’este areal deserto!

    Embora as nuvens trajem
    De dia outra roupagem,
    O sol, de que és imagem,
    Não tem essa linguagem
    Que encanta, que namora!
    Fita-te a gente, estuda,
    (Sem mêdo que se illuda)
    Essa linguagem muda…
    O teu olhar ajuda…
    E a gente sente e chora!

    Ah! sempre que descrevas
    A orbita que levas,
    Confia-me o que escrevas
    De quanto vês nas trevas,
    Que a luz do sol encobre!
    As victimas, que escutas,
    De traças mais astutas
    Que as d’essas féras brutas…
    E as lastimas, as luctas
    Da orphã e do pobre!

    João de Deus, in ‘Ramo de Flores’

  9. Quem não deve não teme é verdade, mas errar faz parte da condição humana , e quem não errou… (os mais graves que outros), todos estamos começados e não estamos acabados… não sabemos o que nos vai acontecer no futuro…, comentários juncosos não ajudam nada.
    Seja qual for a decisão do tribunal, muita FORÇA E CORAGEM.

  10. Inspector Joâo, eu acredito que se meteu numa embrulhada ao fornecer informaçoes das bases de dados, que nâo deveria. Tudo o resto, se tem a consciência calma, nada pode levar à participaçâo emassociaçao criminosa. Eu acredito nos seus valores morais, que os tem, embora outros nâo saibam. MUITOS PARABENS E BOM REGRESSO À FAMILIA. abr.

  11. “Não desistas, por favor não cedas, ainda que o frio queime, ainda que o medo morda, ainda que o sol se esconda, e se cale o vento, ainda existe fogo em tua alma, ainda há vida em teus sonhos. Porque a vida é tua e teu também é o desejo, porque cada dia é um novo começo, porque esta é a hora e o melhor momento.” Mário Benedetti.

    Força, Inspector.

  12. Antes demais, votos de feliz aniversário dentro do que é possível em circunstâncias como esta. Muita força e coragem.
    A todos os leitores, como eu, aqui ficam as considerações a ter em conta…
    Supostamente, alguns dos comentadores, pertencem à força da autoridade na qual o Sr João de Sousa se encontra vinculado…
    Caso assim seja, como creio, denota bem o que é cair nas mãos deste tipo de pessoas que, acima de tudo, têm a obrigação profissional de se apresentar isentos e com total imparcialidade.
    Quando afirmo que creio serem colegas do Sr João, é porque o objectivo que as suas mensagens carregam é de fazer dano à família e ao arguido/colega e não responder aos comentários de outros participantes…ou seja…ataque localizado onde mais dói…Na família e na estabilidade emocional de um recluso.
    E neste caso, a curiosidade vem no facto de os gestores da página não censurarem esses comentários e os deixam expostos…Isto, apenas confirma que quem não deve não teme e eleva o carácter desta família que se sujeita a tudo isto…
    Culpado ou inocente, a mim, pouco me importa…o que me preocupa é a forma como se levou a investigação do caso.
    O que me apavora é a leviandade como se trata um arguido…
    Um processo de convicções mas onde os factos são o que são…
    A quem assiste ao julgamento, deixo a pergunta…
    Até ao dia de hoje, que crime o arguido por sua própria voz reconheceu?
    Não foi apenas o das pesquisas na “caixinha mágica”?
    Reconheceu ele algum outro crime?
    Já aqui li que quando foi confrontado sobre a relação que mantinha com o outro arguido, que não foi convincente…resta saber convincente de que e a quem…
    Um abraço ao Sr João de Sousa e Familia

  13. MEL (doce) AN (os alentejanos utilizam muito, an?!) CO (existe aqui pelo blog alguém a querer o seu)… LIA (lia e lê, passa o tempo a ler)…e a escrever…Como vê não é assim tão mau!
    Você escreveu …“É verdade. Como as coisas simples são as mais belas … um simples sorriso, um simples poema, um poema que pode ser tão intenso e transmitir aquilo que nos faz sentir um frio na barriga, um nó na garganta …” As coisas simples são realmente as mais belas… concordo plenamente, podia ter sido eu a escrever isto!
    Dois aniversários, o da sua mulher e da sua mãe…
    Dia 13 de Junho de 2016, dia de Santo António, a minha mulher, mãe dos meus filhos, “irmã”, (cuidado não venha dai um carrascudo, cascarrão para o processar por incesto, esse deve estar com o ânus tão relaxado que se c… e nem sente de tanto levar nele!Tenho de concordar com alguém que escreveu que esse tipo era do tipo homosexual…)
    “Sinto-me um autêntico “cavaleiro da triste figura”, se para entregar uma pizza de mota demoram, imagino você num cavalo, nunca mais chega…
    “Tenho saudades das aulas, das inspecções judiciárias, dos homicídios”, tem??? Não parece…descreveu tudo na imagem menos a arma do crime??? Veja no chão, aos pés do anjo…Sim para acabar de vez com a melancolia…com o cão não vale a pena porque o galgo está pele e osso, coitadito! A sua imagem lembra-me uma loja de antiguidades mas com funcionários públicos, desejando sair, a torcer para que não entre ninguém para os aborrecer…qual melancolia, preguiça, isso sim! Dizem os estudiosos que a imagem do anjo poderá representar uma “pausa depressiva” depois de algo, ou, um funcionário das finanças…
    E em relação à sua garrafa de champanhe, não pense muito nisso…com tantos filhos em casa, só resistia se fosse uma garrafa à prova de bala…já está partida, decerteza!
    Desejo muita serenidade para a sua mãe…para ela tudo o que vier agora não será nada, comparado a ver o seu filho privado da liberdade…percebi nas entrelinhas que a sua mãe está com um problema de saúde. Desejava que estivesse com ela para a apoiar com a sua presença e com o seu sorriso…
    Qualquer dia vou a visitá-lo …deve ser muito interessante conversar consigo! Li no correio da manhã que as visitas não podem levar charcutaria aos reclusos, que não entra ai nada, é pena porque levava-lhe um paio bem grande e grosso para você enviar ao seu amigo de estimação, ou amiga…será? Eles que o enfiassem onde quisessem, ou que o comessem, de boca cheia e com um paio na mão não vinham para aqui escrever barbaridades…acredito que voce já foi mais feliz ai, que eles aqui fora… o seu anjo está sempre consigo, é só fechar os olhos …e as vezes abrir! É como as velas, acendem-se e apagam-se…as vezes que quisermos…

  14. No meio de tantos textos cheios de teatralidade e “moinhos de vento”, gostava que finalmente chegasse uma semana em que o Sr. João explicasse quais os factos que lhe são imputados e qual a prova em que o Ministério Público os sustenta. Talvez seja pedir demais… Não basta dizer que nada existe e esperar que um público cada vez mais informado acredite na palavra do arguido… Há que disponibilizar meios objectivos às pessoas para que possam retirar conclusões informadas. Vamos lá ter coragem. Percebo que seja mais fácil romantizar a situação do que discorrer sobre um articulado de factos que lhe são imputados, mas os leitores já mereciam essa coragem.

  15. Tanta conversa, tanta melancolia, qualquer dia temos forca…
    Então o JS que aguentava tudo e chamava o Sócrates de maricas e agora estás a ir abaixo? Cuidado da palhinha do 20 que é XL!
    E agora desculpa mas vou rir-me um bocadinho porque não quero perder ver-te a baixar as cuecas, tossir três vezes e chorar como uma Madalena arrependida… hoje até vou por uma roupinha lavada! Se baterem mais de 6 anos, garanto-te que hoje como marisco!
    É cá uma mania que eu tenho que os bófias que roubam, trafulha e enganam devem pagar e bem pago!
    Coisas da justiça…

    P.S. Já agora confidencio, porque também não me pediram segredo, que já há quem ache que vão carregar a sério porque estão convictos que a seguir vais entregar o dinheiro e o ouro que recebeste do boçal. Eu não acredito… ladrao é sempre ladrão, e tu és de gingeira!

    • És mesmo triste…não vales nada…pelas tuas palavras és um frustrado e não vais ser ninguém com quem valha a pena conversar. Comer marisco se o sr Joao for condenado…não o mando p o c… Pq nem isso merece. Só chamo nomes e mando p certos sitios as pessoas q gosto. Desejo q o marisco esteja contaminado…é pena existirem pessoas assim…acredite você ainda vai SOFRER muito… Ninguém é tão ruim e fica impune. Se o sr. João fosse um pedofilo ou um tarado violador…q lhe tivesse violado a sua mulher ainda percebia a sua raiva e o seu ódio… Mas secalhar ela até colaborava…pq em casa deve ter um “pila murcha”. Tenho dito…

      • Esta não é comida pelo marido há dois anos e pelos vistos anda a mamar “pilas murchas”. O marido chama-a de irmã, não haverá quem lhe dê uma canzanada valente para a deixar satisfeita? Isto é só putedo sr. Alfredo!

  16. Caro Inspetor João de Sousa se me permite com a respetiva vénia:
    Querem comentar, comentem. Todos somos livres na expressão do pensamento e devemos fazê-lo sempre que entendermos que é pertinente.
    Apenas considero a linguagem usada por algumas pessoas menos própria, brega mesmo. Acredito que queiram mostrar a falta de respeito que têm pelo próprio (nalguns casos ou até defendê-lo noutros) mas é merecedor pelos demais um mínimo de respeito.
    Quando leio alguns tipos de comentários questiono-me se serão homens com H maiúsculo ou miúdos, é que às vezes a sensação é que são trocas de palavras infantis.
    Mas esta é apenas a minha humilde opinião.
    Citando Umberto Eco:
    “No meio das trevas, sorrio à vida, como se conhecesse a fórmula mágica que transforma o mal e a tristeza em claridade e em felicidade.
    Então, procuro uma razão para esta alegria, mas não a acho e não posso deixar de rir de mim. Creio que a própria vida é o único segredo”.
    Cumprimentos,

  17. Caro amigo, só passei aqui para lhe recordar um recado que deixei aqui a atrasado. Infelizmente na altura não ligou nenhuma, e eu pensei: como é possível alguém que se diz tão inteligente nem pensar em considerar a minha sugestão? Detesto ter razão.
    Boa sorte para a sua família.

  18. Não sei se é culpado ou não. É interessante ver os comentários dos Bófias que colocam. São despreziveis. A verdadeira face destes abutres. Não valem nada. Nem judites nem todos os outros. Boa sorte, apesar de pertencer a essa escumalha

  19. 11 anos? Deve ter roubado pouco… Daqui a 8 está cá fora, é um instantinho. Que lhe tenha sabido bem tanta trafulhice.
    Beijinhos, boa sorte!

  20. Isso terá sido o que o MP pediu, mas quem decide a pena é o juiz, não é o MP.
    Mas se lhe derem mais de 10 anos tem direito a recorrer até ao Supremo, e há limite para a prisão preventiva até sentença transitada em julgado, salvo erro, são 3 anos e 4 meses em casos de especial complexidade, logo, daqui a 1 ano está livre. Se roubou tem dinheiro, e se tem dinheiro e for posto em liberdade, daqui a 1 ano pisga-se com a família para a China ou para o Brasil.
    E olhe, se a Justiça NÃO É IGUAL PARA TODOS, … boa sorte (mesmo que tenha roubado).
    Afinal há 2 ex-Governantes do Governo Passos e Portas que desviaram 36 milhões da ADSE para o Governo Regional da Madeira. E como toda a gente sabe estes favores pagam-se, e com o dinheiro de todos nós. O tribunal de Contas investigou e comprovou tudo, e o Ministério Público ainda “vai pensar” se os leva a julgamento !!!! São laranjas, são amigos, e isto pros amigos é outra Justiça.

    Já o Sócrates só por suspeitas que continuam por provar (já se anuncia que o prazo de 15 de Setembro para terminar o inquérito também não vai ser cumprido, são muitos kilos de papéis e continuam apenas “convictos” e nada mais …) também malhou aí 10 meses.
    Enquanto o Paulo Portas pelos mesmos “crimes” de favorecer as empresas portuguesas no estrangeiro é glorificado e qualquer dia recebe uma Comenda …
    Isto para não falarmos de crimes à séria tipo casos Portucale, Sobreiros, Moderna, tudo arquivadinho !

  21. Joáo, espero que temas amealhado bastante, para compensar os anos de cana… mas de certeza que sim, que a tua mulher não deve ser tão otária assim…. aguentar isto tudo, as tuas amantes, etc, só mesmo com muito dinheiro em jogo. Eu fazia o mesmo que ela…. se leva com tudo o que a tua prisão implica, tratar dos filhos sozinha, etc…mais o facto de ter sido “encornada”, acho que tem direito também ao dinheiro que tens algures. Mesmo assim eu se fosse ela também te enfeitava a testa. Amor com amor se paga…. E claro, só tinha que engolir….é que ela deve saber o suficiente para te ter na mão….

    • Após comentários deste…exigem uns quantos…que mentes livres não se pronunciem…
      Marisa…têm sua excelência o direito de falar assim? Tem? Porque?
      Teria muito apreço em saber no que se baseiam vossas excelencias…
      podem esclarecer os leitores?

  22. Que falta de respeito, que despudor, que brejeiice!
    Tenham vergonha os que escrevem coisas, acho eu impróprias!
    Porque se é livre tudo é permitido? Acho que não.
    A boa educação cabe em todo o lado! Mas… de casa se manda a gente!

  23. É de uma falta de respeito e de insensibilidade assustadora os comentários que andam para aqui. Esse veneno que destilam para todos os lados, não olhando a quem podem magoar, um dia a vida mostra-vos como se devem medir as palavras.
    As melhoras da sua mãe e agora, mais que nunca: Força, João!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s